top of page

COMO LIDAR COM A TENTAÇÃO?

E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.

Mateus 5:30

O que fazer quando as nossas mãos e os nossos olhos nos levam a transgredir a vontade de Deus? Essas são perguntas que todo cristão deve fazer a si mesmo, e que encontram resposta no Evangelho de Mateus, capítulo 5, versículo 30: "E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno".


O primeiro ponto a destacar é que Jesus não está defendendo a automutilação ou o uso de violência contra si mesmo. Ele está falando em linguagem figurada, usando a hipérbole para enfatizar a gravidade do pecado e a necessidade de se tomar medidas radicais para evitá-lo. Em outras palavras, Jesus está dizendo que devemos estar dispostos a fazer sacrifícios pessoais para evitar o pecado e permanecer fiéis a Deus.


Além disso, é importante lembrar que o pecado não começa com a ação em si, mas com o desejo que nasce em nosso coração. Jesus afirma isso claramente alguns versículos antes, quando diz: "Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher com intenção impura, já adulterou com ela em seu coração" (Mateus 5:28). Portanto, se quisermos evitar o pecado, não basta cortar as mãos ou arrancar os olhos, é preciso mudar o coração.


Ao mesmo tempo, é importante não subestimar o poder da tentação e o efeito que as más companhias, as más leituras e os maus hábitos podem ter sobre nós. Às vezes, precisamos ser drásticos em relação a essas coisas, cortando relações, evitando certos lugares e atividades, para não correr o risco de cair em pecado. Essa é uma atitude de sabedoria e autocontrole, e não de fanatismo ou legalismo.

TPor outro lado, não devemos perder de vista o fato de que o pecado não é apenas uma questão individual, mas também social e estrutural. Há pecados que são cometidos em nome da ganância, do poder ou da opressão, e que exigem uma resposta coletiva e transformadora. Nesses casos, não basta cortar a mão, é preciso mudar o sistema.


Em resumo, o ensinamento de Jesus em Mateus 5:30 nos convida a refletir sobre a gravidade do pecado, a importância da auto-disciplina e do autocontrole, e a necessidade de cortar radicalmente aquilo que nos leva a pecar. Mas também nos lembra que o pecado não é apenas um problema pessoal, mas social e estrutural, e que a luta contra ele requer uma resposta coletiva e transformadora. Que possamos estar sempre vigilantes, e dispostos a fazer o que for necessário para permanecer fiéis a Deus e ao seu amor.


Louvado seja Deus pela sua vida,



PASTOR ERIK SANTANA

Bacharel em Teologia, com especialização em Escatologia e Episcopologia, pelo International Seminary Hosanna and Bible School.




128 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page