top of page

QUAL TIPO DE ORAÇÃO NÃO AGRADA A DEUS?

E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.

Mateus 6:7

O versículo de Mateus 6:7 nos apresenta um ensinamento valioso de Jesus sobre a oração. Ele diz: "E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos." Mas o que Jesus quer nos ensinar sobre a oração vazia, e por que Ele adverte contra o uso de repetições vãs?


Neste versículo, Jesus está destacando a importância da sinceridade e da profundidade em nossa comunicação com Deus. Ele adverte contra a oração mecânica, na qual as palavras são repetidas sem considerar seu significado ou propósito. Essa prática vazia era comum entre os gentios da época, que acreditavam que a repetição constante de palavras mágicas ou fórmulas traria a atenção dos deuses.


Ao admoestar contra as vãs repetições, Jesus nos chama a uma oração que seja autêntica e provenha do coração. Ele nos convida a nos aproximarmos de Deus com palavras que expressem nossas verdadeiras necessidades, anseios e gratidão. A oração não deve ser uma mera formalidade, mas uma conversa íntima e sincera com nosso Pai celestial.


Além disso, Jesus enfatiza que Deus não nos ouve com base na quantidade de palavras que usamos ou na repetição de frases, mas sim com base em nossa fé e sinceridade. Ele conhece nossas necessidades mesmo antes de as expressarmos, e Sua graça é abundante. Portanto, nossa oração deve ser uma expressão de nossa fé e confiança em Deus, não uma tentativa de manipulá-Lo com palavras vazias.

A advertência de Jesus também nos convida a examinar nossos corações ao orar. Devemos nos questionar sobre a motivação por trás de nossas orações. Estamos buscando a Deus com humildade e fé, ou estamos apenas repetindo palavras vazias em busca de benefícios pessoais?


O ensinamento de Jesus sobre a oração em Mateus 6:7 nos encoraja a orar com profundidade, sinceridade e fé. Devemos evitar a repetição vazia de palavras e, em vez disso, nos aproximar de Deus com um coração aberto e humilde. Quando oramos de maneira autêntica, nossa comunhão com Deus se torna mais significativa, e Ele atende às nossas necessidades de acordo com Sua vontade.


Em resumo, Mateus 6:7 nos ensina que a oração não deve ser vazia, repetitiva ou mecânica, mas sim uma expressão sincera de nossa fé e comunhão com Deus. A verdadeira oração é baseada na sinceridade do coração e na confiança em Deus, não em fórmulas ou palavras vazias.


Louvado seja Deus pela sua vida,



PASTOR ERIK SANTANA

Bacharel em Teologia, com especialização em Escatologia e Episcopologia, pelo International Seminary Hosanna and Bible School.




26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page